"HÁ ESCOLAS QUE SÃO GAIOLAS E HÁ ESCOLAS QUE SÃO ASAS.” (Rubem Alves)

domingo, 26 de abril de 2009

EDUCAÇÃO INFANTIL



CLIQUE E ASSISTA A ESSA LINDA MENSAGEM !!!!

video

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ARTIGO RETIRADO DA REVISTA CRESCER

A primeira escola não existe para substituir a babá, para apenas tomar conta dele enquanto você trabalha ou para preparar a melhor Festa Junina da sua vida. A escola de educação infantil vai muito além
Cristiane Rogerio e Jeanne Callegari

Ei, você aí: passou do tempo de pensar que criança de 0 a 6 anos não aprende, de fato, na escola, pois “só” brinca.Também não dá mais para achar que é cedo para entender linha pedagógica, diferenciar construtivismo de escola tradicional, saber quem foi Maria Montessori, Jean Piaget ou Rudolf Steiner.Além de descobrir se está perto de casa, quanto custa, como cuida da limpeza, que tipo de alimentação oferece e se trata seu filho com carinho, é hora de identificar como essa escola vai educá-lo. Pois ele aprende desde que nasce que a escola é o ambiente social mais importante depois da família.
Educação infantil pode ser mais importante do que o curso superior? Sim. É quando a criança experimenta o prazer pelo aprender e começa a gostar dela (ou não). A escola aguça a curiosidade da criança e diz a ela “olha que interessante é a vida!”.

A sociedade demorou a entender que infância é um período importante e as crianças são diferentes em determinadas idades. Para ter uma idéia, faz somente dez anos que o Ministério da Educação — com a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases — reconheceu a educação infantil como parte da educação básica de qualquer brasileiro. Isso reflete no que é oferecido às famílias, pois, entre outras coisas, indica ser fundamental a especialização do educador. Significa que educação infantil tem de ir muito além da “tia”, das recreações, do Dia das Mães ou das canções de Natal.
“Escola infantil não vive de improviso e não é um parque de diversões”, diz o educador Marcelo Bueno, coordenador pedagógico da escola Estilo de Aprender. Renata Americano vai além: “É o pedaço mais precioso da vida, porque é quando está se formando a identidade da criança!”.O período se resume em estar com os outros. “Aprendem a ser e a conviver. É a fase do ‘como’: como eu escovo os dentes, como eu lavo as mãos, como eu seguro o lápis, como eu brinco,como eu corro,como eu pulo. Ou seja: ‘como sou’, ‘como devo ser’ e ‘como faço para ser’”, diz Karina Rizek Lopes, coordenadora da Área de Educação Infantil da Secretaria de Educação Básica do MEC. “Além do desenvolvimento físico da criança, também acontece o psíquico e o do caráter”, afirma Quézia Bombonatto, vice-presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia."

FONTE : REVISTA CRESCER ANO 2009 ED. 185

sábado, 11 de abril de 2009

PÁSCOA


Na 4 ª feira dia 8/04 as crianças chegaram à escola e foram recepcionadas pelos bonecos "ZÉ DENTUÇO" E "MARIA CHICOTA" dando votos de FELIZ PÁSCOA.
Durante a semana conversamos com as crianças sobre o verdadeiro sentido da Páscoa e finalizamos a semana com a tradicional PARTILHA .
Algumas turmas optaram em fazer um bolo de chocolate e outras partilharam um delicioso chocolate. Mas, o mais importante foi que todos perceberam o quanto é importante saber "dividir".























































































































































CURIOSIDADES SOBRE A PÁSCOA

O significado da Páscoa...


A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu, até sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. É o dia santo mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam de cerimônias religiosas.
Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida.
No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.
Nossos amigos de Kidlink nos contaram como se escreve "Feliz Páscoa" em diferentes idiomas. Assim:

A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes. A origem do símbolo do coelho vem do fato de que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade!
Vamos ver agora como surgiu o chocolate...

Quem sabe o que é "Theobroma"? Pois este é o nome dado pelos gregos ao "alimento dos deuses", o chocolate. "Theobroma cacao" é o nome científico dessa gostosura chamada chocolate. Quem o batizou assim foi o botânico sueco Linneu, em 1753.
Mas foi com os Maias e os Astecas que essa história toda começou. O chocolate era considerado sagrado por essas duas civilizações, tal qual o ouro.Na Europa chegou por volta do século XVI, tornando rapidamente popular aquela mistura de sementes de cacau torradas e trituradas, depois juntada com água, mel e farinha. Vale lembrar que o chocolate foi consumido, em grande parte de sua história, apenas como uma bebida.
Em meados do século XVI, acreditava-se que, além de possuir poderes afrodisíacos, o chocolate dava poder e vigor aos que o bebiam. Por isso, era reservado apenas aos governantes e soldados.
Aliás, além de afrodisíaco, o chocolate já foi considerado um pecado, remédio, ora sagrado, ora alimento profano. Os astecas chegaram a usá-lo como moeda, tal o valor que o alimento possuía.
Chega o século XX, e os bombons e os ovos de Páscoa são criados, como mais uma forma de estabelecer de vez o consumo do chocolate no mundo inteiro. É tradicionalmente um presente recheado de significados. E não é só gostoso, como altamente nutritivo, um rico complemento e repositor de energia. Não é aconselhável, porém, consumí-lo isoladamente. Mas é um rico complemento e repositor de energia.

E o coelho?


A tradição do coelho da Páscoa foi trazida à América por imigrantes alemães em meados de 1700. O coelhinho visitava as crianças, escondendo os ovos coloridos que elas teriam de encontrar na manhã de Páscoa.
Uma outra lenda conta que uma mulher pobre coloriu alguns ovos e os escondeu em um ninho para dá-los a seus filhos como presente de Páscoa. Quando as crianças descobriram o ninho, um grande coelho passou correndo. Espalhou-se então a história de que o coelho é que trouxe os ovos. A mais pura verdade, alguém duvida?
No antigo Egito, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da Antigüidade o consideravam o símbolo da Lua. É possível que ele se tenha tornado símbolo pascal devido ao fato de a Lua determinar a data da Páscoa.
Mas o certo mesmo é que a origem da imagem do coelho na Páscoa está na fertililidade que os coelhos possuem. Geram grandes ninhadas!

Mas por que a Páscoa nunca cai no mesmo dia todo ano?

O dia da Páscoa é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre no dia ou depois de 21 março (a data do equinócio). Entretanto, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas. (A igreja, para obter consistência na data da Páscoa decidiu, no Conselho de Nicea em 325 d.C, definir a Páscoa relacionada a uma Lua imaginária - conhecida como a "lua eclesiástica").
A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa, e portanto a Terça-Feira de Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa. Esse é o período da quaresma, que começa na quarta-feira de cinzas.

Os símbolos da Páscoa

As luzes, velas e fogueiras são uma marca das celebrações pascais. Em certos países, os católicos apagam todas as luzes de suas igrejas na Sexta-feira da Paixão.
Na véspera da Páscoa, fazem um novo fogo para acender o principal círio pascal e o utilizam para reacender todas as velas da igreja. Então acendem suas próprias velas no grande círio pascal e as levam para casa a fim de utilizá-las em ocasiões especiais. O círio é a grande vela acesa na Aleluia, simbolizando a luz dos povos, em Cristo. Alfa e Ômega nela gravadas querem dizer: "Deus é o princípio e o fim de tudo".
Em muitas partes da Europa Central e Setentrional, é costume acender-se fogueiras no cume dos montes. As pessoas reúnem-se em torno delas e cantam hinos pascais.

Ainda temos como símbolos:

o cordeiro, que simboliza Cristo, sacrificado em favor do seu rebanho;

a cruz, que mistifica todo o significado da Páscoa, na ressurreição e também no sofrimento de Cristo.

o pão e o vinho, simbolizando a vida eterna, o corpo e o sangue de Jesus, oferecido aos seus discípulos.

O Ovo, afinal!!!
Bem, o ovo também simboliza o nascimento, a vida que retorna. O costume de presentear as pessoas na época da Páscoa com ovos ornamentados e coloridos começou na antigüidade. Eram verdadeiras obras de arte!
Os egípcios e persas costumavam tingir ovos com as cores primaveris e os davam a seus amigos. Os persas acreditavam que a Terra saíra de um ovo gigante.
Os cristãos primitivos da Mesopotâmia foram os primeiros a usar ovos coloridos na Páscoa. Em alguns países europeus, os ovos são coloridos para representar a alegria da ressurreição. Na Grã-Bretanha, costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos dados aos amigos. Na Alemanha, os ovos eram dados às crianças junto de outros presentes na Páscoa. Na Armênia decoravam ovos ocos com retratos de Cristo, da Virgem Maria e de outras imagens religiosas.
No século XIX, ovos de confeito decorados com uma janela em uma ponta e pequenas cenas dentro eram presentes populares.
Mas os ovos ainda não eram comestíveis. Pelo menos como a gente conhece hoje, com todo aquele chocolate. Atualmente, as crianças encontram ovos de chocolate ou "ninhos" cheios de doces nas mesas na manhã de Páscoa. No Brasil, as crianças montam seus próprios "cestinhos de Páscoa", enchem-no de palha ou papel, esperando o coelhinho deixar os ovinhos durante a madrugada. Nos Estados Unidos e outros países as crianças saem na manhã de Páscoa pela casa ou pelo quintal em busca dos ovinhos escondidos. Em alguns lugares os ovos são escondidos em lugares públicos e as crianças da comunidade são convidadas a encontrá-los, celebrando uma festa comunitária.
Além do aspecto cultural, religioso há uma mudança na natureza que podemos sentir, no frescor do vento, na força da chuva. A idéia de que nossas esperanças se renovam em datas festivas carregadas de tantos significados nos deixa mais solidários, alegres e naturalmente buscamos trocar essa alegria.
Ovos representam na Páscoa o que pode nascer e vir a ser. Além das toneladas de doce chocolate, devemos adoçar nossas vidas com boas idéias, que possam germinar novas descobertas. Acreditar nessa simples possibilidade já faz da Páscoa um momento super feliz.
FONTE: Kidlink

PROJETO: QUALIDADE DE VIDA


PROJETO 2009
A 2ª etapa da Ed. Infantil elaborou para o ano de 2009 o projeto "Qualidade de Vida". Em nosso 1 º Centro de Estudos do ano, a equipe da Ed. Infantil se reuniu , pensou e propôs atividades para o desenvolvimento do projeto. Refletimos sobre a justificativa, objetivos, propostas de atividades ....


PROJETO:QUALIDADE DE VIDA

Clientela: 4/5 anos
Duração: Aproximadamente 6 meses podendo estender-se ao longo do ano
JUSTIFICATIVA
A abordagem desse assunto ocorre devido a preocupação dos educadores com o bem estar comum dentro de nossa escola, com ações que possam provocar o desdobramento fora desse espaço escolar, pois há o compromisso do corpo docente com as questões mais abrangentes da sociedade como cidadania e leitura do mundo, sendo assim a ed. infantil desenvolverá um projeto direcionado à qualidade de vida, priorizando neste momento, os aspectos da nossa vivência como
*bem estar físico e emocional ( lazer, amizade, afetividade,relação intra e interpessoal, higiene)

*direitos, deveres e valores éticos

* meio ambiente( reciclagem,reaproveitamento do lixo, água)

* saúde ( alimentação, esporte, higiene)

OBJETIVO GERAL

O referente projeto tem como objetivo auxiliar na mudança de hábitos buscando melhorar a qualidade de vida, sensibilizando as crianças e a comunidade escolar através de discussões, observações, pesquisas e vivências sobre os temas, promovendo ações que orientem os alunos e familiares a praticarem hábitos na sua vida cotidiana que visem tanto o bem estar comum como o bem estar físico.

CONTEÚDOS

Ao longo do projeto serão exploradas as diferentes linguagens
*oral
* escrita
*gráfica

* musical

* corporal

* lógico-matemática

* socialização

* sociedade/escola

*meio ambiente ( recursos naturais)

DESENVOLVIMENTO

Iniciaremos o projeto com o acolhimento dos nossos alunos buscando conhecer sua vivência através de relatos, pesquisas... Após serão realizadas atividades coletivas dentro e fora do espaço escolar desdobrando outros enfoques da proposta.
Durante dois meses iniciais serão trabalhados questões direcionadas a relacão intra e interpessoal do grupo( aluno, funcionários, pais e responsáveis) através de atividades e dinâmicas como forma de acolher, conhecer e valorizar as vivências dos nossos alunos. Após o período de reconhecimento serão enfocadas questões relacionadas a água e a alimentação para uma qualidade de vida melhor. Concomitantemente serão exlorados assuntos do convívio social como direitos, deveres e valores éticos através das experiências do cotidiano escolar
O desenvolvimento do projeto se fará com as seguintes propostas:

* atividades lúdicas

* pesquisas

* experiências

*relatos

*culinária

*contação de histórias

* atividades de sensibilização que envolvam os sentidos

*atividades de sensibilização
* visitas pedagógicas fora do espaço escolar
FONTES DE INFORMAÇÃO

* vídeos

*passeios

*pesquisa

*experiência

*reportagens

*troca de informações entre as turmas
SÍNTESE

Organização de todos os materias e atividades desenvolvidas ao longo do projeto.

AVALIAÇÃO

Participação de todos na rotina da escola, através de hábitos que levem ao bem estar comum.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

PARABÉNS ISERJ


A ED.INFANTIL ESTAVA PRESENTE E PARTICIPOU DA HOMENAGEM AOS 129 ANOS DO ISERJ






FOI EMOCIONANTE!!!!

NOSSA ESCOLA TEM UMA HISTÓRIA LINDA E MARCANTE QUE VALE A PENA SER COMEMORADA.


CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DA ED. INFANTIL NO ISERJ.

A EDUCAÇÃO INFANTIL DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO ONTEM E HOJE...

Em 1934 chega no IERJ Heloisa Marinho, este é o espaço que se constrói como educadora. Já vinha funcionando há dois anos quando ela chegou, para exercer o cargo de Assistente de Psicologia da Educação da Escola de Professores.
Heloisa Marinho integrou-se, ao ingressar no Instituto de Educação do Rio de Janeiro IERJ, não só na instituição mais importante de formação de professores da República, mas a um grupo de educadores que representava a vanguarda da educação brasileira.
A abrangência da atuação Heloisa Marinho é impressionante. Ela aplicou toda a sua formação na atividade pedagógica no Rio de Janeiro. Atuou em várias áreas da educação e as mais diferenciadas. Abrangeu a escola pública, a escola particular, os diferentes grupos sociais, desde os grupos da favela até os grupos da alta classe média.
Pode-se afirmar que Heloisa Marinho, através das suas atividades profissionais, desenvolveu um determinado pensamento sobre pedagogia infantil, mais especificamente sobre o que se optou por denominar neste estudo de Jardim de Infância, assumindo assim a influência froebeliana no seu pensamento.

ALGUMAS IDÉIAS DE HELOISA MARINHO:

*A renovação de métodos nasce do interesse da professora em melhorar seu trabalho.

* Não é possível traçar normas rígidas de um programa pré-escolar. O desenvolvimento é criador. A criança conquista seu mundo pela experiência própria. Resume-se a função educativa da educação infantil em proporcionar ambiente favorável à vida.

* A educação da professora do Jardim de Infância não termina nunca.
*Quanto mais cordiais forem às relações entre a escola e o lar, melhor será para as crianças.

*A experiência produz conhecimento.

* Na educação pré-primária, a experiência direta com o mundo das coisas constitui a principal fonte de aprendizagem.

*No Jardim de Infância a educação da linguagem como do pensamento nasce de situações de vida.
* A educação da linguagem e do pensamento não constitui matéria a ser ensinada, surge das vivências naturais.

“O conhecimento da atividade criadora e da evolução natural da criança modificou o trabalho da professora de Jardim de Infância. A técnica rígida dos exercícios sensoriais pertence ao passado. Qual a missão da educadora? Não basta organizar materiais, conhecer arte, música, a natureza, a psicologia infantil. A educadora precisa amar a criança e saber educá-la para a vida pela própria vida”.
Profª- Heloisa Marinho

(Vida e Educação no Jardim de Infância, p.220 – 1967).

A escola de Educação Infantil tinha um funcionamento bem diferente do atual.
O funcionamento da Educação Infantil nos anos 65 / 66, atendia a duas faixas etária de 2°- e 3°- períodos de Jardim de Infância, em dois turnos, com uma média de 24 turmas de 25 alunos num total em torno de 548 alunos.
Professoras e funcionários: 50 professoras em diferentes funções, 7 inspetoras de alunos, 4 serventes, 1 contínuo, 1 merendeira, 1 dentista. Excluindo as professoras de turma os demais exerciam diversas funções.
Professoras: Diretora; Subdiretora; Encarregada da secretaria: responsável na ausência da diretora e subdiretora; Assistente técnica: responsável pelo 2°-turno; Auxiliar de Orientação de Educação, Audiovisual e Relações Públicas; Biblioteca e Discoteca; Auxiliar de Biblioteca e Substituta eventual das professoras; Caixa Escolar e Merenda Escolar; Cooperativa; Auxiliar da Caixa Escolar e da Merenda Escolar; Auxiliar de Orientação de Educação, Relações Públicas e Centro de Civismo; Duas de Música.
Regime didático: Atividades espontâneas (desenho, pintura a pincel e a dedo, Modelagem, Recorte e colagem, Construção, jogo de armar, trabalhos em madeira, cartolina e aproveitamento de material caseiro, Dobraduras, Cantinho da boneca), Atividades ao ar livre, Recreação e Jogos, Música e atividades rítmicas, Educação do pensamento e da linguagem (conversas, histórias, dramatização etc.), Conhecimento da natureza, Educação perceptiva e lógica, Educação social (experiências em relação ao lar, à comunidade, à pátria e festas escolares), Excursões, Práticas higiênicas, Merenda, Repouso e Religião.
Fazia parte da rotina de trabalho: exposições, apresentações com músicas, seleção e remessa de trabalho das crianças para exposições em outro estado, palestras, exposição de trabalhos para congressistas, receber visitas de alunos e professores de várias escolas.
Todas as crianças eram submetidas ao exame de saúde, sendo atendidas também os professores e funcionários no Gabinete Médico, as crianças, eram atendidas também no Gabinete Dentário.
As reuniões com os pais aconteciam mensalmente. A promoção dos alunos era feita continuamente para o Curso Primário.
Todas as crianças eram amparadas pela Caixa Escolar recebiam: merenda, uniforme, calçado, material escolar, medicamentos e todo o auxílio necessário.
Era realizado diariamente nos dois turnos, empréstimo de livros para todas as crianças. O acervo era de 1672 livros para as crianças, 881 para as professoras e 588 em estoque (doados pela Campanha do Livro, pela direção do Instituto de Educação e pelas Editoras).
Funcionava também: O Jornalzinho, a Filmoteca, Boletim Mensal para informações de interesse geral e o Serviço de Mimeografia.
No ano de 1965 o produto da festa Junina foi empregado em conserto e pintura do prédio, construção e conservação das casas de bonecas, compra de utensílios, conserto do Gabinete Dentário, pintura e reparos do mobiliário das salas, na compra de material coletivo e de difícil aquisição e indispensável ao desenvolvimento das atividades e em outras despesas em benefício das crianças, tudo rigorosamente escriturado e comprovado.
Por este resumo, é possível julgar como o trabalho era desenvolvido na Educação Infantil nesta época.
Em 11 de setembro de 1997, o IERJ - Instituto de Educação do Estado Rio de Janeiro fica diretamente subordinado a Fundação de Apoio a Escola Técnica órgão integrante da - SECTI - Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação, passando por uma transformação (encerrando o Curso Normal em nível médio implantando o Normal superior) e recebendo em 03 de junho de 1998 uma nova nomenclatura, Instituto Superior de Educação do Estado do Rio de Janeiro, conseqüentemente iniciando uma nova etapa na Educação Infantil do Instituto de Educação.

OS ANOS FORAM PASSANDO... E.
COM MUITOS QUESTIONAMENTOS, MUITAS DÚVIDAS, MUITAS DISCUSSÕES,
ERROS E ACERTOS... AVALIAÇÕES, TRANSFORMAÇÕES E ALGUMAS CONCLUSÕES, E FOI ASSIM QUE CONSTRUIMOS A NOSSA
PROPOSTA PEDAGÓGICA

Buscamos através das vivências, do fazer artístico e das diferentes linguagens criarmos um ambiente de aprendizagem estimulante que esteja sempre presente à cooperação, à curiosidade e à criatividade.
Baseamo-nos em que, quando se proporciona à criança vivenciar as diferenças em sala de aula, conceitos como autonomia, liberdade, respeito, solidariedade e cooperação, as relações serão melhores elaboradas para a construção no dia-a-dia.
Procuramos organizar o planejamento de forma que existam momentos de trabalho coletivo, que envolvam a participação de todos, e trabalhos de livre escolha, quando cada criança opta por um tipo de trabalho. Na diversidade das propostas apresentadas, a professora se organiza para atender individualmente os alunos, apresentando desafios de acordo com seu interesse e potencial.
(RETIRADO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA ELABORADA PELA EQUIPE DA ED. INFANTIL)


"Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda." (Paulo Freire)

quarta-feira, 1 de abril de 2009

ISERJ - 129 ANOS
PARABÉNS!!!!
2009
FELIZ RECOMEÇO !!!


A alegria voltou a 2 ªetapa da Educação Infantil! Enquanto as crianças estavam em férias, as professoras estavam trabalhando para que o ano de 2009 fosse repleto de novas conquistas e aprendizagens, porém, a escola estava muito triste sem a presença de nossos pequenos.
Estávamos com saudade dos nossos alunos e também com muita curiosidade em conhecer novos amigos. Vamos então nos preparar para as descobertas, aprendizagens e desafios que vivenciaremos durante o ano letivo de 2009!
A todos os nossos alunos, professores, funcionários e pais ...

sejam muito BEM-VINDOS!!!

Equipe da 2 ª etapa da Ed. Infantil


CONHECENDO MELHOR O NOSSO ESPAÇO

NOSSO COTIDIANO

A Educação Infantil é um espaço que apresenta uma função particular no processo da educação.
Ela é um dos espaços onde as crianças podem se desenvolver como sujeitos ativos e criadores.
Sua função é a de promover a aprendizagem de elementos da cultura e do pensamento em um processo integrado ao desenvolvimento das estruturas do pensamento da criança.
Acolhida esta concepção de educação infantil, os profissionais deste segmento escolar do ISERJ, em anos de discussão, acompanhados de muitas dúvidas e ansiedades, vem buscando aproximar-se de uma proposta pedagógica que atenda as necessidades das crianças, baseando-se em estudos que reconheçam a especificidade do pensamento infantil e da forma como acontece o desenvolvimento da criança e sua aprendizagem.
Dentre textos, contribuições e vivências utilizadas para estudo optamos, ou há uma forte tendência, por seguir a linha epistemologia genética, formulada por Jean Piaget e pela teoria sócio - histórica , criada por Vigotsky.
A teoria sócio-histórica, representa o modo como a aprendizagem, cultura e educação se encontram integrados e a epistemologia genética, apresenta uma teoria do desenvolvimento cognitivo, considerando as características do pensamento das crianças em cada estágio.
Nesta perspectiva, os instrumentos, os materiais e a conexão dessas duas teorias nos foram despertado o sentido de uma orientação construtivista, pois nesta linha, encontramos o teor de nossa prática, uma vez que nos fundamentamos que a aprendizagem trata-se de um processo realizado, construído por cada pessoa à medida que age, física ou mentalmente, sobre as coisas que estão no mundo.
O construtivismo não é um método para a prática pedagógica. É uma concepção sobre a forma como acontece o aprendizado. Esta concepção contribui para a definição dos objetivos da educação e para a formulação da ação pedagógica.
Compreendemos que o que uma criança é capaz de fazer e aprender dependerá da integração dos seguintes fatores: o estágio de desenvolvimento de pensamento que ela se encontra, suas condições sócio-afetivas e do conhecimento que ela pode construir em suas experiências anteriores.
Neste contexto, é necessário que a experiência escolar assegure a realização de aprendizagens significativas, ou seja, que os encaminhamentos feitos pelos profissionais lhes proporcione relação com o que elas já tenham vivenciado ou conhecido anteriormente para que possam ser assimilados com maior interesse e propriedade.
Para que as aprendizagens significativas ocorram é importante que a criança tenha uma atitude favorável em relação às propostas de atividades e que também esteja motivada para relacionar o que está aprendendo com o que já sabe. E quanto mais interessante às propostas e, efetivamente voltadas para si, mais significativas se tornarão para ela.
Relevando esses princípios, partimos do pressuposto que a educação infantil deva oferecer um espaço onde através de situações de aprendizagens significativas, as crianças possam desenvolver suas condições de pensamento e criar melhores condições de aprendizagem.
A esse respeito, consideramos a diferença real que existe entre o que a criança é capaz de aprender sozinha e com o que pode fazer e aprender com ajuda de outras pessoas.
Visto desta forma, desenvolvimento, aprendizagem e ensino são três elementos relacionados entre si, é quando surge à crença que a criança constrói seu processo de aprendizagem, dela depende a construção do conhecimento.
Dentre diversas interações que ocorrem no espaço escolar, elegemos como as mais favoráveis para a aprendizagem em nossa realidade, as interações no trabalho cooperativo, pois é neste processo que as crianças podem expressar suas hipóteses sobre os conhecimentos e interagir com outros de modo a apropriar-se de novas aprendizagens.
O trabalho pedagógico na educação infantil precisa partir do universo da criança, de sua realidade e sabedoria criativa permitindo que ela conquiste o espaço criador e gerador de conhecimentos.
Vale a pena ressaltar que se pensarmos e entendermos o trabalho pedagógico na educação infantil dessa forma, cabe a nós termos sempre o cuidado de fazer com que esta postura perpasse o cotidiano da escola, impregnando todo o fazer pedagógico.
A função do trabalho pedagógico na educação infantil é proporcionar a partir de atividades criadoras o desenvolvimento pleno da criança de sua potencialidade, criatividade, sensibilidade e senso crítico, além de possibilitar o acesso aos conhecimentos historicamente construídos e sistematizados pelo homem.
Utilizando diversas linguagens, materiais diversos e partindo de situações concretas, facilitamos esse encontro da criança com o fazer criativo.
Esta visão do trabalho pedagógico possibilita a transformação do espaço da escola em um espaço realmente democrático, onde cada criança seja respeitada em sua individualidade e ação criadora.
Através de um trabalho sério e comprometido, buscamos desenvolver na criança sua auto-expressão e percepção do mundo.
como experimentar, jogar, manusear, brincar e criar são ricas e profundas e estas são as que permeiam por todo o processo escolar a fim de levar indivíduos a vivências significativas e importantes para sua vida.

EQUIPE PEDAGÓGICA

A equipe pedagógica é constituída por professores de turmas, de atividades, substitutos, coordenador do segmento, coordenadores de turnos, orientador pedagógico, orientador educacional e fonoaudiólogo que se reúnem no “Centro de Estudo” uma vez por semana para estudo, planejamento coletivo, acompanhamento de alunos, avaliação e, também, com os demais funcionários uma vez ao mês em horário de tempo integral com suspensão de aula.

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS

O nosso trabalho é realizado em esquema de rodízio em ambientes adequados a cada atividade, tendo uma sala como referência utilizada para cada duas turmas.
Assim, conseguimos equipar melhor cada ambiente sem dispersar o material em salas de uso exclusivo.
A maior parte do espaço escolar é comum a todos os alunos e com isso ampliamos a ocupação e facilitamos a socialização.
Temos salas para as atividades, como: Música, Centro de Multimeios, Multimídia, Jogos Lógicos e Brinquedoteca.

FORMAS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO
Entendemos que a avaliação seja um acordo entre todos os envolvidos no processo pedagógico e sirva também como indicador da mudança de estratégias para criar um novo rumo na relação ensino e aprendizagem.
A avaliação é feita através de observações de todas as atividades individuais e de grupo que são discutidas e registradas nas reuniões da equipe pedagógica, para entregar ao seu professor subseqüente.
A comunicação aos pais é feita em cada semestre em forma de Relatórios de Grupo e Individual.

O MUNDO A NOSSA VOLTA

Fazendo parte do processo educacional que estamos inseridos em relação a tudo que nos cerca, buscamos trazer para o nosso dia-a-dia em sala de aula as informações que recebemos através dos jornais, revistas, televisão, Internet, os diversos profissionais, os museus, os parques, as exposições, os movimentos culturais, sociais e políticos que nos chegam e que devemos utilizar pedagogicamente. Através dessas atividades vamos facilitar o entendimento e valorizar o nosso cotidiano.

PROFESSORES

Cada turma possui 1 professor que acompanha em todas as atividades e professores de atividades (que atendem a todas as turmas do segmento no turno da manhã e da tarde, e cada grupo separadamente em horários pré - determinados): Música, Centro de Multimeios que desenvolve um trabalho com Histórias Infantis, Informática, Educação Física que desenvolve o Projeto de Brinquedoteca e Jogos Lógicos.
A escola possui também 1 professor substituto.

PESSOAL DE APOIO

O pessoal de apoio do nosso seguimento é constituído de :duas merendeiras, uma auxiliar de merenda, dois inspetores, dois auxiliares de serviços gerais e um almoxarife.

SALA DE AULA

A sala de aula é o local onde se sintetiza e se organiza o conteúdo das vivências, (leituras, vídeos, histórias, experiências, entrevistas, visitas, passeios, festas, exposições, utilizações de materiais) com os mais variados registros feitos pelo professor da turma.

PRESSUPOSTOS TEÓRICOS NORTEADORES DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO INFANTIL

* A criança é um sujeito interativo que aprende através da interação com o outro (outras crianças e outros adultos).

* A Educação Infantil é um espaço de construção do conhecimento e não de preparação para a escola.

* A Educação Infantil deve garantir às crianças a possibilidade de lidar, de usar diferentes linguagens: corporal, musical, plástica, gráfica, escrita, etc.

* Os conteúdos trabalhados precisam ser significativos e fazer sentido para as crianças e professores. Precisam estar interligados com o que acontece dentro e fora da escola.

* As atividades realizadas precisam ser instigantes para as crianças. Precisam ter problemas a resolver e decisões a tomar. Precisam possibilitar que as crianças avancem na construção e apropriação de novos conhecimentos.

* O professor precisa estar “aberto” para o novo. Precisa perceber que não detém todo conhecimento. Não é “dono da verdade”. Ele não é o único informante na sala de aula. Não sonegar informação para as crianças.

* A criança deve ser estimulada a ousar e não ter medo de errar. O erro deve ser fonte de autoconhecimento e auto-afirmação. Sabendo que ainda não sabe, a criança identifica o que já sabe e o que deseja vir a saber.

* A Educação Infantil pode e deve ser um ambiente alfabetizador onde as crianças, desde muito cedo, possam construir e testar hipóteses sobre a linguagem escrita.

* A criança pode utilizar diferentes tipos de letras. É importante que a professora garanta que a criança lide com todos os tipos: imprensa, cursiva. Já descobrimos que no início, a letra de imprensa facilita a leitura e identificação para a criança.
* A Educação Infantil deve ser um espaço que garanta a professora prazer em ensinar à criança prazer em aprender.

* O professor precisa ser sujeito da sua ação pedagógica. Precisa ter a coragem de ousar e de criar, pois só assim verá os seus alunos como sujeitos do seu aprendizado.

A 2ª etapa da Ed. Infantil do ISERJ atende as turmas de Infantil IV ( 4 anos) e Infantil V ( 5 anos).
Além das salas de aula, contamos também com atividades como: Sala do CEM( histórias), Sala de Jogos Lógicos , Sala de Música, Brinquedoteca, Multimídia e Capoeira.












BRINQUEDOTECA
CEM










CAPOEIRA JOGOS LÓGICOS

CEM MÚSICA

Além desses espaços, contamos também com o nosso parquinho que foi pintado e ganhou grama sintética.












NORMAS DE FUNCIONAMENTO

SR. RESPONSÁVEL,

Para mantermos a harmonia da nossa escola, esteja sempre atento aos ítens abaixo:

1. Horário: manhã 07h 30min ás 12h e tarde 13h às 17h 30min

1.1 HAVERÁ UM LIMITE DE 15 MINUTOS DE TOLERÂNCIA PARA O ATRASO NA ENTRADA E NA SAÍDA DAS CRIANÇAS. QUANDO CHEGAR APÓS ESSE HORÁRIO, A CRIANÇA SERÁ ENCAMINHADA À TURMA E O RESPONSÁVEL DEVERÁ DIRIGIR-SE A COORDENAÇÃO.

APÓS 30 MINUTOS DE TOLERÂNCIA ESSE ATRASO SERÁ REGISTRADO E SE FOR CONSTANTE, O RESPONSÁVEL CHAMADO À ESCOLA.

1.2. Usufruirão de horário diferenciado:
Filhos de professores, alunos e funcionários do ISERJ, que comprovem através de declaração, o período em que estão em atividade no Instituto.

2. Os alunos frequentarão a escola devidamente uniformizados.

2.1. O uniforme consta de :

*Short ou calça comprida azul-marinho, tênis preto e meia branca
*Blusa branca de manga curta com gola e punhos azul-marinho ou camiseta branca sem manga com nome da criança na frente.
* Agasalho aberto na frente com zíper, todo azul-marinho

OBS: A CRIANÇA DEVERÁ TER SEMPRE NA MOCHILA UMA MUDA DE ROUPA, DE PREFERÊNCIA O UNIFORME.

3. Uma vez ao mês as aulas serão suspensas para a realização de reuniões pedagógicas com os professores do 1º e 2 º turno.

4. As reuniões de responsáveis serão informadas antecipadamente.

5. As atividades da Ed. Infantil 2 ª etapa poderão ser suspensas nos seguintes casos: falta d'água,dedetização,desratização ou quaisquer outras situações que comprometam a higiene, segurança e operacionalização do funcionamento escolar.

6. Aniversários serão comemorados ao término de cada mês.

7. A criança que pegar a criança na Ed. Infantil 2 ª etapa, deverá ser o responsável ou alguma outra devidamente autorizada por ele mediante um documento escrito na caderneta.

8. Na Ed. Infantil 2 ª etapa não está previsto trancamento de matrícula.

9. É necessária a atualização de endereços e telefones dos responsáveis pela criança, na agenda da criança e na Coordenação.

10. Todo o material individual deverá ser marcado com nome do aluno.

11. Criança que apresentar doenças infecto-contagiosas, será afastada e só retornará mediante autorização, por escrito do médico assistente.

12. Casos de Pediculose ( piolho) , afastarão a criança por 3(três) dias para tratamento.

13. Não é necessário que a criança traga lanche de casa, pois a escola oferece merenda diariamente.

14. Permissão para passeios com a turma, só poderá ocorrer com a autorização , por escrito, do responsável.

15. Em caso de mal-estar ou qualquer alteração com a criança, o responsável será comunicado por telefone e aviso na agenda.

OBS: O segmento não realiza ligação para celular.

16. Em caso de acidente, o responsável será comunicado e deverá comparecer imediatamente a escola.

17. No decorrer do período letivo, poderão ocorrer atividades pedagógicas ou extra curricular nas quais solicitaremos uma colaboração de acordo com o evento.

18. Solicitamos sua prévia autorizaçãopara o uso de fotos ou imagens para utilização em brindes personalizados ou em desenvolvimento de trabalhos e pesquisas pedagógicas.

Depois de merecidas férias..... a volta às aulas.
Conquistar nosso aluno não é apenas, efetuar a sua matrícula e pronto. É agora que tudo vai começar.....
Depois da escola aberta aos pais e alunos , preparamos uma semana especial para que pudéssemos estabelecer uma relação de confiança e reforçar vínculos afetivos entre aluno / escola / família / professores.

A ADAPTAÇÃO


O processo de adaptação da criança na escola é fundamental para a sua formação sócio-cultural. Durante esse período muitas pessoas estão envolvidas, não apenas a criança mas, professores, colegas, pais e de uma certa maneira toda a estrutura escolar.
É uma fase que requer muita atenção e dedicação por parte de todos.
Procuramos fazer com que a criança conheça o novo ambiente e sinta segurança durante o período de adaptação, que é um processo gradual onde professor e aluno vão se conhecendo aos poucos.


" SE QUISER CULTIVAR A CURTO PRAZO, PLANTE CEREAIS. SE QUISER COLHER A LONGO PRAZO, PLANTE ÁRVORES. MAS, SE QUISER COLHER PARA SEMPRE, EDUQUE CRIANÇAS."
( PROVÉRBIO CHINÊS)

PARABÉNS ISERJ!!!!
PELOS SEUS 129 ANOS !!!!!!

INÍCIO DA FASCINANTE HISTÓRIA DO ISERJ(de 1880 a 1932)
Você sabia que o Instituto de Educação do Rio de Janeiro tem mais de um século de história?
"Andamos pesquisando documentos muitos antigos e descobrimos o seguinte:Em uma noite chuvosa, o Salão Nobre repleto, presentes o Imperador D. Pedro II, a imperatriz D. Teresa Cristina e muitas outras personalidades importantes, é instalada, em 5 de abril de 1880, a Escola Normal da Corte, hoje INSTITUTO DE EDUCAÇÃO. O local provisório é o Colégio Pedro II. O Barão Homem de Mello declara: “Com vênia de Sua Majestade, o Imperador, acha-se solenemente instalada a Escola Normal”. Este evento aconteceu após o Decreto n° 7.684, de 6 de março de 1880, que cria uma Escola Normal na Corte. O primeiro Diretor Interino escolhido é Bejamim Constant Botelho de Magalhães. Após a instalação são matriculados 175 alunos, sendo 88 meninas e 87 meninos; e as aulas começam em maio, em salas cedidas pelo Colégio Pedro II. Em 1888, a Escola Normal da Corte é transferida para a Escola Central, no Largo de São Francisco, e depois para o prédio da atual Escola Técnica Rivádia Corrêa, ficando ali até 1914, quando passsa para o prédio da Escola Pedro Varela, demolida por causa do Metrô, na rua Joaquim Palhares. O objetivo da Escola Normal em 1888 era preparar os professores primários de 1° e 2 graus, com ensino gratuito para ambos os sexos, e abrangendo dois cursos: o de ciências e letras e o de artes. Em 1915, é instituído o famoso uniforme azul e branco, obrigatório. Finalmente, no dia 11 de outubro de 1939, a Escola Normal instala-se definitivamente no majestoso e importante prédio da Rua Mariz e Barros 273, para evitar que o imóvel, adquirido e construído pelo Prefeito Antônio Prado Jr., seja ocupado pelas forças revolucionárias, sendo o Professor Fernando de Azevedo o Diretor Geral da Instrução Pública. Para efetuar esta definitiva mudança unem-se em alegre mutirão de trabalho: professores, funcionários, alunos e seus familiares. Pouco depois, a Escola Normal é transformada em Instituto de Educação, pelo Decreto n° 3.810, de 19 de março de 1932. Há muito mais para contar...mudanças no nome, nos cursos, nos graus, na autonomia, há uma série interminável de decretos, para uma visão mais completa da nossa história. No dia 10 de setembro de 1997, através do Decreto n° 23.482, o Sr. Governador transferiu o IERJ – Instituto de Educação do Rio de Janeiro para âmbito da FAETEC – Fundação de Apoio à Escola Técnica, vinculada a Secretaria do Estado de Ciência e Tecnologia. Essa providência foi decorrente da necessidade de resgatar o nível de uma instituição que sempre desempenhou relevante papel o cenário educacional do país. Sendo o universo de unidades escolares sob responsabilidade da FAETEC voltado para a formação de profissionais, apresenta-se mais propício para a viabilização da indispensável retomada de uma formação de professores preparados de forma digna e compromissada, para garantir um ensino de qualidade. Depois, considerando a nova LDB, que prevê a formação do professor de 1ª à 4ª ´series como ensino superior, o Sr. Governador transformou o Instituto de Educação em Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, através do Decreto n° 24.338, do dia 3 de junho de 1998. E ainda no mesmo ano, no dia 18 de setembro, através do Decreto n° 24.665, o Sr. Governador instituiu o CAP/ISERJ - Colégio de Aplicação. Os segmentos que compõem o CAP/ISERJ são: Educação Infantil (Creche e Pré-Escolar), Ensino Fundamental (1ª à 4ª séries/ 5ª à 8ª séries) e Ensino médio (Formação Geral e Informática). São oferecidos também, em horário contrário do turno regular, cursos de Informática, Oficinas de Artes e Esporte."
(Fontes: Arquivos do Instituto de Educação, vol. I, junho 1934; Anuário do Instituto de Educação, 1968: Informativo do Instituto de Educação – 1971-1973).
RETIRADO DO SITE DO ISERJ http://www.iserj.net/

DEIXE UM COMENTÁRIO PARABENIZANDO O ISERJ , COMENTE AQUI!!!!