"HÁ ESCOLAS QUE SÃO GAIOLAS E HÁ ESCOLAS QUE SÃO ASAS.” (Rubem Alves)

domingo, 5 de dezembro de 2010

PROJETO 130 ANOS - ISERJ


                                        CECÍLIA MEIRELES
      As turmas 34,35 e 36 do infantil V, vêm realizando de maneira integrada atividades relacionadas ao Projeto “Memória – 130 anos do ISERJ”, resgatando a memória da grande poetisa brasileira Cecília Meireles. Sabe por quê?
     
      Cecília Meireles foi aluna do Instituto de Educação do Rio de Janeiro entre os anos de 1913 e 1916. Diplomou-se na Escola Normal no ano de 1917. Cecília faz parte da Memória do ISERJ.

      Para dar início ao nosso trabalho as professoras Patrícia, Therezinha e Janaína contaram a história da Cecília Meireles através de fantoches e do tapete de histórias. Foi muito interessante ver o entusiasmo das crianças.


           Quer saber um pouco sobre a história da Cecília?

   Cecília era uma menininha de cabelos encaracolados e olhos esverdeados. Nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 7 de novembro de 1901.

    O começo de sua vida foi marcado por situações difíceis. Seu pai Carlos Alberto morreu 3 meses antes de seu nascimento e sua mãe Matilde faleceu quando ela tinha apenas 3 anos de idade.

   Mas Cecília não ficou sozinha, ela tinha uma avó especial chamada Jacinta que adorava a neta. Vivia cantarolando cantigas e falando ditados populares para a Cecilinha.

   Havia também a Pedrina que era sua babá. Pedrina sabia muitas histórias e gostava de contar sempre “O Palácio das Louças Vermelha”. Cecília gostava tanto dessa história que queria transformar o jarro vermelho de sua avó num verdadeiro palácio.

    Na casa da vovó Jacinta havia um quintal com muitos passarinhos, um galo serelepe e uma pata com seus patinhos. Havia também um mundo encantado: o mundo dos livros! Cecília já gostava dos livros antes mesmo de aprender a ler. Gostava de inventar histórias e músicas para divertir as bonecas.

   Cecília era uma ótima aluna, escreveu seu primeiro livro aos 9 anos, ganhou até uma medalha de ouro do poeta Olavo Bilac.

   Sua formação como professora e interesse pela educação levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano e 1934. Escreveu várias obras na área da Literatura Infantil como por exemplo: “O cavalinho branco”, “O colar de Carolina”, A flor amarela”, “O menino azul”, “O vestido de Laura”, “Tanta tinta”, “Bolhas”, “Ou isto ou aquilo”, “Leilão de jardim”, entre outros.

   Estes poemas são marcados por sua musicalidade (uma das principais características de suas poesias).

   Cecília gostava de um livro em especial: O Dicionário.

    Além de escritora, professora, pintora, Cecília também foi jornalista. Gostava de acordar cedo para fazer o café. Sempre fazia walffles e comia com mel e bolo de laranja com calda açucarada, o seu preferido. Também gostava de ler, escrever, tocar violão e violino, desenhar, pintar, viajar, ser professora, fazer bolo, dormir e acordar cedo e caminhar.

   Cecilia teve três filhas: Maria Elvira, Maria Matilde e Maria Fernanda.

   Cecília Benevides de Carvalho Meireles. Faleceu no dia 9 de novembro de 1964.

    Para concretizar o trabalho a turma 34 visitou o Centro de Memórias do ISERJ para conhecer um pouco mais da história de nossa Cecília.




            Em um outro momento, as professoras das turmas 34, 35 e 36 fizeram o bolo preferido da Cecília – Bolo de laranja com calda açucarada. Que delícia!




                                   Receita : Bolo de laranja com calda açucarada

Ingredientes:

3 xícaras de açúcar
3copos de trigo
3 ovos
1 colher (sopa) cheia de fermento em pó
1 copo de óleo
4 laranjas
1 colher de margarina (para a calda)

Modo de fazer:

  Coloque no liquidificador o óleo, os ovos, 1 laranja com casca e 2 laranjas sem casca (picadas). Bata bem.
  Acrescente o açúcar, o trigo e o fermento. Bata até formar uma massa homogênea. Coloque no forno
para assar por cerca de 30 minutos.

Calda

   Coloque 2 colheres de açúcar e 1 colher de margarina, faça uma calda grossa. Acrescente 1 copo (pequeno) de suco de laranja e deixe ferver . Jogue em cima do bolo ainda quente, e polvilhe açúcar por cima. Agora é só saborear!


      Cecília Meireles também foi uma grande professora folclorista  o que possibilitou o resgate de algumas cantigas de roda.


      Outra atividade que as crianças gostaram muito foi o plantio de sementes de árvores frutíferas e algumas hortaliças que haviam na casa da sua vovó Jacinta.

           FOI REALMENTE UM GRANDE APRENDIZADO!!!!!
   



Um comentário:

Profª Heloisa Helena Meirelles disse...

Fiquei muito feliz ao ver na "folhinha" a visita de vocês, da turma 34, ao CEMI para conhecer um pouco sobre a nossa ex-aluna e ex-professora Cecília Meireles. Um beijo grande para turma e para as magnifícas professoras da Educação Infantil. Heloisa Meirelles CEMI